Negócios Internacionais

A figura ilustra a posição relativa do carvão Intercarbon (região vermelha) quando comparado com os melhores carvões do mundo (região azul do Peak Downs, carvão australiano benchmarking)

Negócios Internacionais

Desde 2008, o Grupo PH internacionalizou seus negócios, por meio da Intercarbon Mining, localizada na Colômbia. A empresa possui uma série de minas nas zonas de Guachetá e Ráquira para exploração de carvão metalúrgico coqueificável de alta qualidade.

O carvão é matéria-prima para o coque siderúrgico, utilizado principalmente em altos-fornos como fonte de combustível e redutor na produção do ferro-gusa.

Com uma reserva estimada de 4 milhões de toneladas, a Intercarbon possui atualmente seis minas subterrâneas, operadas e mantidas com elevado nível de exigência na segurança de seus trabalhadores, assim como no respeito ao meio ambiente, fatores esses fundamentais para a sustentabilidade do negócio.

O gerente da Intercarbon, Jimi Alejandro La Rotta Bonilla, afirma que “a qualidade das nossas reservas é diferenciada e reconhecida pelo mercado principalmente pelos teores médio e baixo de matéria volátil, assim como o reduzido nível de cinzas: tais aspectos conferem performance superior à do carvão durante seu processamento.”

Os investimentos realizados pelo Grupo PH em novos projetos nesses últimos anos, apesar das eventuais conjunturas adversas no mercado mundial de carvão, reafirmam a estratégia de longo prazo e a crença no negócio.

A Intercarbon centra suas operações em dois complexos mineiros localizados em quatro concessões que contam com as devidas autorizações, licenças e documentações necessárias aprovadas e emitidas.

Além do aspecto qualitativo, novos projetos são previstos no sentido de aumentar ainda mais a produtividade das operações das minas subterrâneas, como, por exemplo, um novo sistema de bombeamento do carvão, reduzindo os tempos mortos envolvidos na fase de extração.

Os projetos de melhoria e expansão da malha rodoviária e de expansão do transporte fluvial na região para os próximos dois anos abrem uma perspectiva muito positiva para a otimização logística terrestre até o porto, o que irá conferir ainda mais competitividade ao carvão colombiano para a exportação via Pacífico ou Atlântico.